Mineiro de Automobilismo começa com tudo em Curvelo

Teve piloto vencedor de prova na Euro Nascar, campeões brasileiros dentro e fora da pista; equipes do Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás se juntando aos times da casa. E boas disputas nos 4.420m do Circuito dos Cristais, em Curvelo. A abertura do Mineiro de Automobilismo, com as provas do Marcas e Pilotos e da Classic Cup, foi uma justa homenagem a Eduardo Gontijo, falecido no começo do ano.
Cada vez mais popular, a categoria 1.4 do Marcas viu duas feras dividirem o comando do Celta #38 da equipe Cimini Racing. No sábado, Gustavo Mascarenhas, campeão brasileiro e bicampeão mineiro, levou a melhor nas duas corridas. Na primeira, recebeu a bandeirada à frente de Flávio Costa (JM) (#83) e de Felipe Rabello (Fast Racing), representante brasileiro na Euro Nascar em 2017 e 2018, com vitórias em Venray e Franciacorta. João Neto levou na 1.4 B, superando David Aprígio e Rayfran Darlysson. Cássio Perácio foi o vencedor na 1.6, com um Palio.
Parada no grid com inversão das seis primeiras posições e desta vez a luta passou a ser entre Gustavo e Rabello, separados por apenas 0s505 na bandeirada. Leo Lucas ficou com a terceira posição na 1.4 A, enquanto João Neto, Rayfran e Thiago Mourthé foram os três primeiros na B. Cássio novamente dominou a 1.6.
Com a segunda melhor volta da qualificação da véspera definindo os grids do domingo, quem levou a pior foi Flávio Costa, que só registrou uma passagem e acabou indo para o fundo do grid. No #38, Gustavo deu lugar a Wanderson Freitas (atual bicampeão do Turismo Nacional Classe 2). E a briga entre o piloto de Contagem e Rabello se manteve ao longo de toda a terceira corrida. O #38 conseguia vantagem nas retas, enquanto o #88 encostava nos trechos sinuosos, sem, no entanto, conseguir a ultrapassagem. Flávio Costa remou o pelotão para ficar em terceiro. Na 1.4 B, melhor para Thiago Mourthé, à frente de Leonardo Neto, vindo de Alagoas para dividir o carro com o irmão, João. A 1.6 viu Cássio Perácio levar a melhor novamente.

Com a mesma sistemática da véspera, Neto, sexto lugar geral, foi alçado à pole, mas logo Wanderson e Felipe Rabello repetiam a briga de minutos antes. O resultado também se encaminhava para um repeteco até que, na última volta, a quebra da homocinética do carro #38 deu a Rabello a chance de tomar a ponta e vencer, seguido por Wanderson e Flávio Costa. Mourthé, Leonardo Neto e Aprígio foram os três primeiros na 1.4B e Cássio Perácio completou o fim de semana com 100% de aproveitamento na 1.6.
O track day após a programação oficial mostrou que já na segunda etapa os grids devem ficar ainda maiores. Os experientes Eduardo Campos e Max Aurélio, além de Alexandre Gomes, aproveitaram para treinar com as máquinas da categoria e prometem fazer parte da disputa.

Postar um comentário

0 Comentários